terça-feira, 1 de novembro de 2016

Os rostos da revolta


Uma das coisas que me faz sentir esperança no futuro próximo do FC Porto é esta equipa. Não pelo futebol brilhante que (ainda não) pratica, mas pela vontade notória que estes jogadores - alguns de qualidade inegável e com um futuro brilhante pela frente - demonstram em fazer mais e melhor. Digo isto porque há já muito tempo que não via os jogadores portistas, juntamente com o quem estava no banco de suplentes, tirarem satisfações ao árbitro. E em Setúbal aconteceu por duas vezes: a acabar a primeira parte e no final do jogo. Não é que isso tivesse qualquer resultado prático, mas pelo menos demonstram alguma revolta e não a apatia que reinava num passado não muito distante. "Quem tem alma não tem calma", escreveu sabiamente Fernando Pessoa, e quem dá tudo como os jogadores portistas deram, independentemente do maior ou menor acerto, não pode ficar indiferente à forma como o árbitro João Pinheiro foi facilitando a vida ao Vitória de Setúbal.


"O FC Porto, em nove jogos, foi prejudicado em oito penáltis. São penáltis a mais para uma equipa só. Parece que os árbitros, quando vão apitar os nossos jogos, já estão condicionados a não marcar a nosso favor. Começa a ser um problema complicado. Os jogadores sentem que as decisões não têm sido corretas e os nossos associados também. Não estamos a ser tratados como deve ser e é hora de dizer chega!", quem o diz é Luís Gonçalves, director geral da SAD portista, em entrevista ao Jornal de Notícias. É curioso que o último a chegar ao clube seja o primeiro a sair em defesa do mesmo, mas é de salutar que haja agora alguém na administração com coragem para o fazer.

Espero que a entrega da equipa continue e que Luís Gonçalves não deixe de colocar o dedo na ferida sempre que seja preciso. Não deve haver nenhum portista que não concorde quando se diz que "é hora de dizer chega!", até porque essa hora já tinha chegado há muito... Ficava bem a Pinto da Costa juntar-se agora à voz da revolta mas, muito provavelmente, teremos de esperar por eventuais bons resultados nos jogos de amanhã e Domingo para que aquele que devia ser o primeiro a falar o faça.