segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Faça-se, então, História


Segundo o jornal O Jogo, para que imagens como estas voltem a ser uma realidade para os portistas, Nuno terá de fazer História uma vez que nunca o FC Porto foi campeão com apenas 22 pontos nesta altura do campeonato.

É difícil neste momento dar um voto de confiança à direcção e ao treinador, mas por ser difícil é que o estou a fazer. Desde o início da temporada que a SAD tem tomado decisões de extrema dificuldade, sendo a mais visível de todas a troca de Antero Henrique por Luís Gonçalves - um homem com fortes ligações à formação e ao scouting. Recorde-se ainda que o novo homem forte do futebol não teve qualquer influência na construção deste plantel, sendo que o seu trabalho começará a ser posto à prova no mercado de Janeiro. E esse trabalho não será fácil. O plantel tem de ser reestruturado tendo em vista o modelo de jogo adoptado pelo treinador e com opções credíveis para alguns sectores mais carenciados. Se para isso tiver de se limpar alguns dos pesos mortos do grupo, melhor ainda.

Estou longe de concordar com tudo o que a administração fez. Tenha sido a pedido de Nuno ou não, não se pode imputar ao treinador, pelo menos de forma exclusiva, a contratação de Depoitre quando há jogadores de igual ou superior valia emprestados. O será que Suk, Aboubakar, Ghilas ou até Gonçalo fariam pior que o belga? Assim como não se pode apontar o dedo unicamente à SAD pela não venda de Herrera. Para muitos, grupo onde me incluo, recusar 30 milhões de Euros por um jogador com tantas lacunas é de bradar aos céus, mas se o mexicano ficou é porque o treinador achou que era importante para o grupo.

Entretanto os resultados não têm sido os melhores e tudo é posto em causa, mas há uma coisa que ninguém pode negar apesar de todos este equívocos: o onze base é bom e, apesar da inexperiência de grande parte dos jogadores, tem atitude perante as adversidades. Esta equipa merece ser apoiada porque pelo menos deixa tudo em campo e merecia ter um banco melhor para a ajudar nas horas mais complicadas. Além disso, nota-se que a postura de quem manda no clube tem vindo a mudar desde a entrada de Luís Gonçalves. Não sei se por influência directa do novo administrador ou por pressão dos adeptos, mas tem-se notado uma crescente vontade de fazer mais e melhor pelo FC Porto.

Agora é tempo de assumir os erros, aguentar o barco até dia 31 de Dezembro e começar a corrigi-los logo na primeira semana do mercado de Inverno. Se entretanto Nuno não demonstrar que merece o lugar que ocupa não faltam por aí bons treinadores desempregados, mas até lá só nos resta fazer das tripas coração e apoiar a equipa. Se não for pelo treinador, que seja pelos jogadores. Se não for pelos jogadores, que seja pelo emblema que carregam ao peito.