terça-feira, 29 de novembro de 2016

Um jogo diferente mas com o mesmo desfecho


Uma noite diferente na Invicta, mas com o resultado do costume: empate a zero. A primeira jornada da fase de grupos da Taça da Liga ficou marcada, entre outras coisas, pela redescoberta do caminho para o Estádio do Dragão por parte da RTP. Enquanto uns ficam com a Liga dos Campeões nós temos que nos contentar com esta competição que merece tanto respeito dos portistas que o FC Porto, uma vez mais, decidiu não vender bilhetes para todas as bancadas e esperava ter cinco mil espectadores.

Nuno pediu o apoio da massa associativa e, mesmo tendo o clube tudo feito para espantar o público - 21h15 de uma Terça-Feira, a sério? - lá apareceram 15 mil corajosos, mais do triplo esperado. Quem fez um esforço para ver este jogo cedo percebeu que ia ser uma noite diferente, mais não fosse pelas muitíssimas alterações na equipa. Mas nem só. O árbitro Nuno Almeida, que nenhuma culpa tem no golo mal anulado aos Dragões, fez uma arbitragem sem pressão e sem aquele sentimento de necessidade de prejudicar o FC Porto e, por isso mesmo, não permitiu aos jogadores do Belenenses que jogassem duro, o que resultou em quatro cartões ainda na primeira parte - três amarelos e um vermelho directo. Um record na presente temporada.

Dentro das várias novidades na equipa destaque para o jovem Inácio. O canhoto da equipa B mostrou que pode ser um jogador a ter em conta no futuro e o melhor que lhe posso desejar é que não tenha a mesma sorte de Quiño ou Víctor García que também mostraram valor mas nunca mereceram continuidade na aposta. Depoitre parece apostado em confirmar que nunca devia ter apanhado o avião para Portugal; João Carlos Teixeira - ou só João como decidiu estampar na camisola - jogou apenas 15 minutos e por pouco ia sendo o melhor em campo, o que levanta ainda mais as dúvidas em relação à pouca utilização, nula até hoje, que o treinador lhe dá; e Brahimi mostrou que pode/tem de ser uma alternativa válida, seja no lugar de Jota, Otávio ou Corona. Uma palavra também para Evandro que se exibiu a bom nível.

Valeu pelo descanso dado aos habituais titulares que no próximo Sábado têm o futuro do técnico (no pressure) na baliza que o Braga vai defender no Dragão. No meio disto tudo, mais um 0-0. Parece mesmo que Nuno está apostado em fazer História, mas pelos motivos errados.