sábado, 29 de outubro de 2016

Vencer em Setúbal com os olhos postos no primeiro lugar


Portugal é este momento um país deslumbrante para a generalidade da comunicação social quando o assunto é futebol. Este Sábado ainda mais, ou não tivesse o Benfica aproveitado a escorregadela do Sporting na Madeira ao vencer em casa o Paços de Ferreira, vitória essa que dá ao actual campeão uma vantagem de seis pontos sobre o segundo classificado. Mas há um problema para toda esta aparente felicidade e descontracção: o segundo classificado não é o Sporting, é o FC Porto.

E é com os olhos postos no primeiro lugar que os Dragões têm de entrar hoje em campo. Os três pontos frente ao Vitória de Setúbal valem a oportunidade de na próxima jornada fazer o Benfica voltar à Terra, aproveitando o Clássico para lhes relembrar que o campeonato não será um passeio como muita gente nos tenta fazer crer. Aliás, os próximos tempos estão longe de ser fáceis para o actual - e provisório, espero - líder do campeonato.

Após aquilo que eu espero seja uma derrota no terreno do FC Porto para os Encarnados, o campeonato será (uma vez mais) interrompido para, primeiro, compromissos das selecções nacionais e, de seguida, para se disputarem os 16-avos-de-final da Taça de Portugal. Após isso começa um ciclo complicadíssimo para o Benfica, não só pela qualidade dos adversários - que, diga-se, escasseou até agora salvo raras excepções - mas também pela quantidade de jogos que serão disputados entre o meio do mês de Novembro e o meio do mês de Janeiro, com especial destaque para Dezembro.

O calendário do FC Porto parece mais acessível - o que nem sempre se verifica, cabe depois à equipa mostrá-lo em campo -, embora também bastante sobrecarregado. E é aqui que não há outra solução: após três anos de seca absoluta, Nuno tem de dar prioridade absoluta ao campeonato. E aqui será importante que o vasto plantel, talvez até vasto demais, dos Azuis e Bancos seja bem aproveitado pelo treinador para que nenhuma competição fica comprometida ainda nesta fase da época.

É importante que o FC Porto saiba capitalizar estas últimas semanas de 2016 para subir ao primeiro lugar e, mais importante, de lá não mais sair.